Direito e terapia

Quem disse que um advogado precisa ser o intermediário de uma briga? Precisa de quilos de papeis para resolver o problema? E que se demoram anos para se ter o que deseja? Nem sempre isso é verdadeiro!

Aprenda a Técnica Terapêutica de Ação imediata que qualquer pessoa pode fazer, contra medos, mágoas, traumas, ansiedade e bloqueios psicológicos.

A mediação é uma forma alternativa de resolver os conflitos. Ela traz uma alternativa e um meio possível de estabelecer a transformação nas relações. O homem precisa ser olhado como um todo. Não se pode mais, nos tempos de hoje, pensar que uma separação judicial, por exemplo, resolve a falta de dialogo na família, a inversão de valores morais, a ausência dos pais, a falta de amor nas relações! A mediação terapêutica trata desses problemas encarando-os como fatos que devem ser encarados, aceitos e curados. Cada pessoa ao entrar numa relação, de negocio ou amorosa, traz consigo memórias celulares nem sempre compreendidas, nem sempre aceitas, mas que estão lá e fazem parte do ser humano, forma a sua personalidade, sua essência e que não pode ser mudado ou controlado pelo parceiro, mas pode sim ser aceito e curado. Quando entendemos que tais características não são nossas mas estão em nós, tornamo-nos pessoas melhores.

O dialogo nas relações se torna mais fácil. As técnicas de terapia são ferramentas que tornam os resultados mais dinâmicos, ágeis, duradouros e com o mínimo de stress. No Judiciário não se tem tempo suficiente para tratar as relações como elas devem ser , considerando O TODO. O ser uníssono com espírito, corpo e emoções que é o ser humano! A mediação nesses moldes que proponho se faz com dialogo, amor, respiração e consciência de si.

As pessoas devem ser levadas a, primeiro, olharem de fora o problema, depois a olharem para si e só daí contemplar a relação conflituosa. Nessa fase as pessoas já estarão prontas para construírem a solução. Não é conciliação, não é separação amigável, é Mediação! Precisa-se de um advogado para isso? Sim, precisa! Só o advogado pode reduzir a solução por escrito para levar ao judiciário para homologação. Alem disso, quando o conflito não é apenas emocional, sempre é bom o mediador entender das leis para informar sobre os direitos e obrigações, alertar sobre as consequências e responsabilidades oriundas dessa solução. A segurança jurídica é importantíssima na garantia do sucesso da mediação.

Por>Raquel Viçosa
Advogada/mediadora/terapeuta holística

FAÇA PARTE DOS CONECTADOS

Posts Relacionados

Seja Feliz, Saudável e Próspero

Sobre Nós

Luz da Serra 2020 – Todos os direitos reservados.

X