HomeO Chamado da LuzO fim das religiões (e você ajudou nisso!)

O fim das religiões (e você ajudou nisso!)

Olá aqui é o Bruno e eu desejo muita luz ao seu caminho! As religiões acabaram e eu vou te explicar o motivo com fatos e dados.

O mundo está mudando e consequentemente, você também vem mudando. Você vem percebendo que o seu coração precisa de mais, sua vida precisa de mais (ideias antiquadas já não te convencem), mas ao mesmo tempo, sentimentos ruins tomam conta de você nos momentos mais inusitados e doidos…

A ansiedade, a tristeza, a comparação com as outras pessoas, o sentimento de não ser bom o bastante, a sensação de ter tudo e mesmo assim sentir que não tem nada, o sentimento de que você não tem o apoio que gostaria das pessoas da sua família. Ah… sem falar dos medos né?

Medo da morte, medo de perder as pessoas amadas, medo da crítica, medo de falar o que pensa, medo de agir, medo da miséria (pobreza), medos e mais medos.

Será que só eu sinto isso? Ou você também sente? Isso já deve ter passado pela sua cabeça algum dia… A verdade é que atendendo pessoas como terapeuta em consultório e na internet, eu sei que a esmagadora maioria das pessoas se enquadra nesse cenário, afinal somos humanos. E é aí que a religião entra nessa história…

Religião – ela acabou?

Pelo menos a religião do jeito que fomos doutrinados quando crianças, não existe mais. As religiões sustentadas por dogmas e que se colocam como caminho único de salvação estão se extinguindo, pois elas não focam no essencial ao ser humano: O AMOR. Você já deve ter percebido isso, certo?

Tem muita gente sofrendo sem respostas para suas dores. Têm muitas ovelhas desgarradas que não encontram saídas para os problemas que se meteram.

Por isso o velho modelo da religião acabou… definitivamente acabou. O motivo é simples, muito simples. O mundo está completamente diferente, a internet mudou tudo, as novas gerações não aceitam mais respostas prontas, evasivas e impostas.

E por esse mesmo motivo que as pesquisas revelam dados importantes:


Fonte: O Globo

Essa pesquisa mostra a tendência das pessoas em buscar sentido para vida, o que na prática não indica que nenhuma religião tem a resposta completa para dores, sofrimentos e anseios. Afinal 44% buscam respostas em mais de uma religião.

Fonte: Gospelprime

Na segunda pesquisa você vê que 44% das pessoas estão consultando mais fontes de consciência e não estão mais presas a um único dogma. Isso não é incrível? Estamos caminhando a passos largos em direção a uma grande mudança de paradigmas!

Agora repare nesse comentário de uma autoridade no assunto:


Fonte: Folha de São Paulo

O que a gente conclui com isso?

Há um chamado no coração das pessoas! Há uma força interna clamando por mais… mais respostas, mais paz, mas harmonia e calma nas relações. Há um chamado pedindo mais prosperidade, mas felicidade e satisfação no trabalho e na carreira.

Religiões do mundo

As perguntas são bem maiores do que as respostas e por isso a religião como era antigamente acabou. Ela sofreu e continuará sofrendo mudanças irreversíveis e a linguagem do amor, da simplicidade e da transformação na prática, ficarão cada vez mais em alta, cada vez mais fortes (finalmente!).

Não adianta nada acreditar em um único Deus ou uma linha religiosa se essa não mudar a minha vida, acabar com meus problemas e revelar pra mim o que posso fazer pra ser feliz agora, já! Eu pelo menos não me conformo mais com isso…

Eu já pratico isso há mais de 15 anos! As religiões NUNCA me completaram e eu fui buscar mais, estudar mais! Eu me dediquei muito, porque acredito, sinto e convivo com uma força espiritual na minha mente e no meu coração. E é uma força tão bonita e verdadeira que eu não preciso de intermediários pra compreendê-la (ou às vezes até tentarem suborná-la). Sinceramente, eu acredito com todas as forças do meu ser que você também não precisa de intermediários.

E venho dedicando a minha vida para ajudar mais pessoas a sentirem a força de seu chamado, hoje, amanhã e depois, com leveza, simplicidade e principalmente: eficiência para resolver problemas.

Espiritualidade sem religião

Confesso que quando comecei nessa linha de espiritualidade sem religião, eu “tomei porrada de todos os lados”. Muita gente me dizia que eu era um pecador, que tinha pacto com o demônio e principalmente que eu estava sob influência de espíritos obsessores. Dá pra acreditar?! O que mais ouvi foi que jamais deveria “mexer” com essas coisas sozinho! Era um perigo!

Caramba quanta pressão! Quanta polêmica! Quanto xingamento! Mas eu sou persistente… ah como sou persistente! Eu me uni às pessoas certas, acredito que me dediquei e estudei da forma certa, também devotei minha vida a uma missão maior (e os frutos vieram).

A espiritualidade sem religião, sem dogmas e enquadramentos foi sendo divulgada e uma multidão se engajou na causa… YES! Eu percebi que não estava sozinho nessa! Milhares e milhares também sentiam o que eu senti! Milhares e milhares não queriam pertencer a nada, ou ao menos não queria ser rotuladas com uma religião! Para você ter uma ideia, a audiência nos sites do Luz da Serra e de seus canais de mídia na internet superam a marca de 57 milhões de acessos por ano.

Quando tudo foi fluindo a força e a confiança aumentaram, arregaçamos as mangas e fomos pra cima!!! Uhuhuhu! Que sensação incrível perceber que eu não era mais o louco da história, o desequilibrado… Agora tudo era diferente porque milhares de pessoas sentiam o que eu também sentia: a espiritualidade livre… livre de crenças impostas, livre de verdades únicas, livre de punições, livre de regras obsoletas!!!

E essa espiritualidade além de livre era focada, objetiva, prática. Ela mudou meu coração, meus julgamentos, minhas relações e principalmente a minha prosperidade!

Era tudo que eu queria: saber o que fazer na prática! Ter minha espiritualidade desenvolvida no mundo real! Sem mistérios e sem mimimi. E foi quando criamos o Chamado da Luz e mais tarde o Dia da Conexão. Aquele que é o maior encontro online de conexão espiritual livre do Brasil (e talvez até do mundo).

União das religiões

Chega de viver cheio de paradigmas, cheio de ranços, cheio de enquadramentos que tiram a sua liberdade e fazem de tudo para “enfiar goela abaixo” estruturas rígidas e desatualizadas que não resolvem nada na sua vida.

Se você quer aprender a sentir a força do seu chamado espiritual, da verdade da sua alma, sem ter que ser dessa ou daquela religião, ou mesmo que você tenha sua linha espiritual, mas está de mente aberta, conheça o Programa Espiritualidade na Prática no Youtube. Vai ser um ponto de virada na sua vida para sentir na pele e viver essa espiritualidade livre. Aqui está o link do canal

É hora de dar um chega na procrastinação! Dê um basta a inércia de querer evoluir e não ter um caminho pra isso, ou simplesmente arranjar desculpas esfarrapadas para não alcançar os seus principais objetivos! É hora de você fazer a sua parte, fazer o que tem que ser feito de uma vez para ser o que você nasceu pra ser, para viver a sua missão, para melhorar a sua autoestima e destravar a sua prosperidade!

É sério! Eu não estou brincando. Conheça o Programa no Youtube (é gratuito) neste link, ou eu vou entender que você não quer mais saber de desenvolvimento pessoal e para mim isso será um sinal de que você não está comprometido como eu estou. Estranho né? Eu estar mais comprometido com você do que você mesmo…

Vamos viver a liberdade, a liberdade de ser você mesmo (não aquela que impõem a você)! Vamos fazer a nossa parte! Faça a sua e vamos potencializar essa conexão!

Eu acredito que as próprias religiões velhas estão morrendo (sendo exterminadas mesmo) e renascendo de forma mais sincera e verdadeira. Também acredito que a nossa mente aberta pode ser a saída para isso! E acredito que em pouco tempo vamos ter uma visão renovada do que é espiritualidade livre (aquela que realmente ajuda as pessoas!).

Um grande abraço e muita luz!

Bruno Gimenes

Aviso de Propriedade

Todos os conteúdos do site Luz da Serra são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa de Luz da Serra Editora Ltda, mesmo citando a fonte.

<p>Um dos responsáveis pela expansão da Espiritualidade no Brasil, é personalidade referência nesta área, além de Diretor de Conteúdo e Cofundador da Instituição Luz da Serra. É professor, palestrante com mais de 1800 palestras realizadas e autor de 16 livros (dois deles já entraram diversas vezes no ranking dos mais vendidos da revista Veja). Bruno Gimenes é destaque nas redes sociais produzindo vídeos no canal Luz da Serra no YouTube, que já ultrapassaram a barreira dos 31 milhões de visualizações ao ano. Mais de 25 mil alunos já participaram de seus cursos e treinamentos online.</p>

Deixe um comentário

4 COMENTÁRIOS
  • Mack740 / 12/09/2017

    Ok, até entendi, com um pouco de boa vontade, a boa intenção por trás do artigo. Mas contra fatos não há argumentos: Primeiro, 1 entre cada 4 habitantes do planeta professam o Islamismo. Isso dá quase 2 bilhões de pessoas – parece difícil acreditar que na morte das religiões no mundo, quando somente uma delas abarca tanta gente. O hinduismo abarca outro 1 bilhão de pessoas. Segundo, estatísticas sempre são um dado a ser visto com cuidado: nem a Folha nem o Globo entrevistaram quase 200 milhões de brasileiros para obter seus dados – o que é feito é uma amostragem, e daí se extrapola o resultado. A única coisa concreta é que 44% dos entrevistados (se foram 100 pessoas na amostragem, então são somente 44 pessoas) responderam algo que deu a entender que “seguem mais de uma religião”. Sem verificar o que foi perguntado, qualquer interpretação é fácil: por exemplo, uma pessoa é católica e também vai em centro espírita. São duas religiões diferentes? Entre os espíritas há divergência se o kardecismo em si deveria ser uma religião separada. E ambas seguem os ensinamentos de Cristo como base. Dá para realmente afirmar que a pessoa em questão segue duas religiões distintas? Outra coisa sobre essa estatística: para todos os fins, 44% são pessoas religiosas – e tanto o são que seguem mais de uma! Mas nada se diz dos outros 66% – que podem ser simplesmente fiéis à religião de nascimento. Morte das religiões? Parece difícil. Em terceiro, quanto ao Pondé… Talvez ele seja a chave para entender essa estatística; certa vez ele fez uma bela crítica ao que chamou de “Budismo Light”, a forma como o budismo se tornava uma coisa difundida entre gente que se considera iluminada pois escolhe no cardápio o que quer seguir do budismo. Por exemplo, fazer ioga, virar vegano, e por isso acha que segue o budismo. Mas não quer saber de fazer jejum, só faz meditação se puder se vestir como indiano de novela e faz caridade somente quanto alguém pode testemunhar. O mesmo deve acontecer hoje em dia com as outras religiões (quase todas de base católica): as pessoas resolvem seguir o que bem lhe apetecem em cada religião que encontram, e desviam daquilo que dá trabalho, que envolve sacrifício ou provação, e chamam isso de ecumenismo ou “espiritualidade livre”. Falar em fim das religiões (mesmo que seja com o cliché que servirá de álibi depois: “como nós as conhecemos”), é o mesmo que pregar pelo fim das bibliotecas, pois você não foi com a cara do bibliotecário (que usa um quipá, uma batina ou o que seja) ou porque achou os livros muito longos e acha melhor o pessoal ler apostilas com resumos das partes fáceis.

  • Luthieska / 01/08/2017

    Ecumenismo alcançará seu objetivo. Mas será por pouco tempo.

  • Sandra / 27/06/2017

    Participei desse dia especial, mas confesso que, não sei se pelo fato de ter acabado de chegar do trabalho, acabei dormindo durante toda a oração…

  • Ines / 27/06/2017

    Vcs são luz nesse mundo! 💖