HomeO Chamado da LuzEstudando a mediunidade e as suas facetas

Estudando a mediunidade e as suas facetas

Você sabia que todos nós somos médiuns? Existem diversas formas de manifestação da mediunidade, e ela tem a ver com a nossa missão de vida, com o nosso propósito que combinamos antes de descer para esse planeta azul. Neste conteúdo, você conhecerá alguns tipos de mediunidade que já foram estudados por diversas correntes espirituais e como você, estudando a mediunidade e as suas facetas pode desenvolve-la.

Estudando a mediunidade 2

Estudando a mediunidade e as facetas

Antes de  falar dos tipos de mediunidade em si, vamos ver alguns aspectos ou facetas que se confundem com os tipos, e que são importantes de serem entendidos e estudados para o bom desenvolvimento mediúnico:

A mediunidade boa e a ruim

Não há mediunidade boa ou ruim, pois ela sempre é uma habilidade, portanto, é algo neutro. Ela pode ser tornar algo bom ou ruim de acordo com a conduta moral e do estilo de vida do médium.

A mediunidade consciente e a inconsciente, ou a ostensiva e a oculta

Há pessoas que nascem com um nível de mediunidade que permite ser facilmente identificada desde na infância. Por outro lado, outras pessoas, estudando a mediunidade, percebem ela mais tarde, seja pelos sinais de mediunidade, pelos sintomas aflorados por situações em que ela se revela. Seja qual for a época em que ela se manifestar, a mediunidade será lembrada por fenômenos marcantes, e por isso também é chamada de mediunidade ostensiva.

Basicamente, há duas formas de tomar consciência da própria mediunidade:

  1. Através do estímulo da família, do ambiente e dos grupos em que você está inserida(o), tornando-a consciente desde cedo ou ao longo do tempo; e
  2. Através das circunstâncias e situações que você vivencia, trazendo a mediunidade, antes inconsciente, para a consciência.

A mediunidade inconsciente pode ser sutil e se manifestar de vez em quando, e a pessoa pode, a princípio, não entender nada do que acontece com ela. Ao contrário de uma mediunidade ostensiva, a inconsciente tem essas manifestações mais “fracas”, e pode se confundir com uma mediunidade oculta.

Todas as pessoas podem ser orientadas a desenvolver e estar, desde pequenas, estudando a mediunidade. Quando chegam à idade adulta, elas já têm muito mais consciência dos fenômenos e das influências extrafísicas, e passam a ter a capacidade de se protegerem de interferências nocivas, de contatarem o mentor espiritual e trabalharem como canais de auxílio divino, ajudando outras pessoas e se ajudando. Essas são pessoas com a mediunidade desenvolvida e equilibrada.

A mediunidade desequilibrada e a bloqueada

Se uma pessoa possui a mediunidade desenvolvida e, por algum motivo, desanima ou deixa de ter disciplina e compromisso com sua evolução, tem grande chance de sofrer com os sintomas de desequilíbrio mediúnico após algum tempo.

Estudando a mediunidade 3

Esses sintomas também podem afetar as pessoas que nem sequer sabem que possuem mediunidade e tampouco acreditam nela, ou até as pessoas que têm consciência de que sentem “coisas diferentes”, mas, por medo, sofrem com as consequências do não desenvolvimento, buscando ajuda em locais que não podem lhes ajudar.

Para dar fim a esses sintomas incômodos, muitas pessoas recorrem ao uso de medicamentos alopáticos, por exemplo. Qualquer remédio alopático só atua no nível físico, mas não consegue ajudar a amenizar os efeitos energéticos de uma mediunidade mal trabalhada.

A mediunidade, quando é bloqueada ou está inconsciente, pode aflorar doenças como sonambulismo, depressão e compulsões de todo tipo. O tratamento delas deve ultrapassar os limites de tratamentos médicos convencionais, trazendo para a pessoa uma nova abordagem e um novo olhar sobre si mesma, e o desenvolvimento da mediunidade pode ajudá-la a se curar e a crescer na vida. Tudo o que ela pede é que olhemos para nós com comprometimento, que nos engajemos com a nossa própria evolução.

Essa parte de hoje foi uma breve introdução do assunto. Aos poucos, vamos nos aprofundando no estudo sobre os tipos de mediunidade. Se você gostou, deixe seu comentário, sua dúvida aqui embaixo e compartilhe com quem você conhece e precisa de ajuda com esse tema.

Convidamos você também a se inscrever e nos acompanhar pelo nosso canal no Youtube e a assinar nossa lista VIP, para receber conteúdos como esse e dicas de desenvolvimento pessoal e espiritual. Um grande abraço e até a próxima!

Redação Luz da Serra

Aviso de Propriedade

Todos os conteúdos do site Luz da Serra são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa de Luz da Serra Editora Ltda, mesmo citando a fonte.

<p>A Luz da Serra é fruto do desejo dos amigos, e hoje sócios, Bruno Gimenes, Patrícia Cândido e Paulo Henrique T. Pereira, de transformar a vida das pessoas,trazendo bem-estar, saúde e prosperidade, a partir de uma nova consciência evolutiva através de paz, equilíbrio autoconhecimento e sucesso pessoal. Com mais de 15 anos de jornada, localizada na cidade de Nova Petropólis/RS, a instituição genuinamente espiritualista é referência no segmento da espiritualidade sem cunho religioso no Brasil. Mas na Luz da Serra também tem um bando de GENTE FELIZ que vive pelo mesmo PROPÓSITO: levar LUZ às pessoas! E que não estão neste mundão a passeio, gente linda que com a EMOÇÃO à flor da pele leva a MISSÃO da LUZ DA SERRA para onde for preciso, para onde precisar de mais SORRISOS!</p>

Deixe um comentário

4 COMENTÁRIOS
  • Ada / 14/12/2017

    Olá. Eu também gosto muito dos vídeos e de todo conteúdo do site, mas gostaria de sugerir que vocês fizessem mais textos (escritos). Beijos de amor e luz! Muito grata!

  • jurema lopes oliveira / 19/10/2017

    adoro teus videos você e iluminado tudo de maravilhoso para você em teus caminhos muita luz harmonia.
    gratidão gratidão,

  • jurema lopes oliveira / 19/10/2017

    Bruno, maravilhoso este texto sobre mediunidade.
    gratidão